Quem comprou o controle da BR Distribuidora? - Dilma Rousseff
×

Quem comprou o controle da BR Distribuidora?

Do ponto de vista do interesse nacional o “modelo” de privatização da BR é um desastre

28/07/2019 9:22

ANDRÉ ARAÚJO, no GGN

Bolsonaro vendeu o controle da BR Distribuidora sem cobrar por ele e, consequentemente, sem estabelecer condições boas para a Petrobras. Em breve, os novos donos poderão importar barris de petróleo e a próxima venda, então, será das refinarias enferrujadas.

 

O Brasil é o terceiro maior mercado de combustíveis do planeta, após EUA e China. Quanto vale o controle desse mercado? Se a cifra de 20 bilhões de dólares parece alta, basta lembrar que a BP britânica pagou 25 bilhões de dólares em indenizações sobre um vazamento de óleo nas costas do Estado da Lousiana.

O mercado brasileiro de gasolina e diesel é imenso e seu controle uma das joias do setor mundial de petróleo. Essa semana a Petrobras vendeu em bolsa uma fatia de ações que na prática significa que ela perdeu o controle da BR Distribuidora, a sua subsidiaria de maior faturamento, a joia da coroa.

Arrecadou, considerando esse lote e mais um subsequente, R$ 9,6 bilhões, ou seja em torno US$2,5 bilhões de dólares, uma merreca no mundo do petróleo.

Foi uma simples venda de ações na Bolsa de São Paulo cujo resultado ao fim do dia foi a Petrobras “vender” o controle da BR Distribuidora, pelo preço de ações no varejo, SEM CONSIDERAR O VALOR DO CONTROLE.

Vendeu-se o controle SEM COBRAR POR ELE, quando a lógica deveria ser: se é para vender, que seja num leilão de venda do controle da BR Distribuidora, como valor de entrega do mercado de combustíveis.

Pelo mesmo valor a AES comprou em 1996 a ELETROPAULO, que como investimento estratégico vale muito menos que a BR.

E quem comprou o controle da BR, qual o “investidor estratégico” que não aparece? Calma, ele não apareceu porque convém esconder o jogo para não desvendar a “pechincha” que foi a compra do controle do mercado de combustíveis no Brasil. Desconfio que seja a SHELL, atrás do “biombo” Raizen, mas não tenho certeza.

A operação foi bem montada, coisa de profissionais, o que não é de estranhar, a economia brasileira está sendo administrada por especuladores de bolsa, montar essas transações é da atividade deles, é seu único projeto de política econômica agora e depois.

Lembrando que as privatizações do Governo FHC foram muito mais lógicas para se apurar maior valor, venderam-se empresas COM CONTROLE, apurando-se no tal US$106 bilhões. Só o Grupo AES investiu nessas privatizações US$ 6 bilhões, considerando que o dólar de 1996 valia bem mais que o dólar de hoje…

Do ponto de vista do interesse nacional o “modelo” de privatização da BR é um desastre, embora a GLOBONEWS ache um sucesso.

Quando se vende uma estatal com CONTROLE, o Estado pode estabelecer condições, por exemplo, a BR precisará comprar 60% de seu suprimento no Brasil. Quando a venda é pulverizada, NÃO HÁ COMO ESTIPULAR CONDIÇÕES, quem comprou torna-se dono livre de qualquer obrigação, pode estipular o preço que quiser pela gasolina e pelo diesel, transfere-se o oligopólio do Estado para o novo dono. Considerando que o Estado sai da distribuição, os caminhoneiros vão reclamar com o Papa se o diesel subir muito, o Estado perdeu seu poder de arbitragem de preços e abastecimento.

E como fica? Nas próximas semanas se aglutinarão blocos de compradores que estão por trás de bancos de investimentos e fundos que apareceram hoje como compradores e aí a Petrobras será chutada da administração ou participará como minoritária em um acordo de acionistas, mas a filosofia privatista dessa turma no poder é de tal envergadura que provavelmente eles vão abrir mão de participar desse acordo, por cortesia deixarão a gestão total por conta do novo dono, e este poderá então deixar de comprar qualquer barril das refinarias da PETROBRAS e preferirá importar de suas refinarias no exterior.

Não há qualquer obstáculo para isso, então a PETROBRAS vai dar de graça as suas refinarias que irão enferrujar por falta de clientes, que tal?

Nome
Email
Mensagem