Que lo injusto no me sea indiferente - Dilma Rousseff
×

Que lo injusto no me sea indiferente

Artistas argentinos cantam um clássico de Leon Gieco em ato por #LulaLivre na presença de Dilma, em Buenos Aires

04/05/2018 1:57

A canção “Solo le pido a Diós”, de Leon Gieco, eternizada na voz de Mercedez Sosa, é entoada pelo próprio autor e por artistas argentinos, no encerramento do ato em defesa da democracia no Brasil e pela liberdade de Lula, em Buenos Aires, Argentina.

(Abaixo, a letra da música)

"Solo le pido a Diós", por Léon Gieco

A canção "Solo le pido a Diós", de Leon Gieco, entoada por artistas argentinos, no encerramento do ato em defesa da democracia no Brasil e pela liberdade de Lula, em 1º de Maio de 2018, em Buenos Aires, Argentina.

Posted by Dilma Rousseff on Thursday, May 3, 2018

A letra, em espanhol e em português:

Sólo le pido a Dios
Que el dolor no me sea indiferente
Que la reseca muerte no me encuentre
Vacía y sola sin haber hecho lo suficiente

Sólo le pido a Dios
Que lo injusto no me sea indiferente
Que no me abofeteen la otra mejilla
Después que una garra me arañó esta suerte

Sólo le pido a Dios
Que la guerra no me sea indiferente
Es un monstruo grande y pisa fuerte
Toda la pobre inocencia de la gente
Es un monstruo grande y pisa fuerte
Toda la pobre inocencia de la gente

Sólo le pido a Dios
Que el engaño no me sea indiferente
Si un traidor puede más que unos cuantos
Que esos cuantos no lo olviden fácilmente

Sólo le pido a Dios
Que el futuro no me sea indiferente
Desahuciado está el que tiene que marchar
A vivir una cultura diferente

Sólo le pido a Dios
Que la guerra no me sea indiferente
Es un monstruo grande y pisa fuerte
Toda la pobre inocencia de la gente
Es un monstruo grande y pisa fuerte
Toda la pobre inocencia de la gente

——–

Eu só peço a Deus
Que a dor não me seja indiferente
Que a seca morte não me encontre
Vazia e sozinha sem ter feito o suficiente

Eu só peço a Deus
Que o injusto não me seja indiferente
Que não me esbofeteiem a outra face
Depois que uma garra me arranhou esta sorte

Eu só peço a Deus
Que a guerra não me seja indiferente
É um monstro grande e pisa forte
Toda a pobre inocência da gente
É um monstro grande e pisa forte
Toda a pobre inocência da gente

Eu só peço a Deus
Que o engano não me seja indiferente
Se um traidor pode mais que uns muitos
Que estes muitos não o esqueçam facilmente

Eu só peço a Deus
Que o futuro não me seja indiferente
Desenganado é o que tem que fugir
Para viver uma cultura diferente

Eu só peço a Deus
Que a guerra não me seja indiferente
É um monstro grande e pisa forte
Toda a pobre inocência desta gente
É um monstro grande e pisa forte
Toda a pobre inocência desta gente

Nome
Email
Mensagem