A infraestrutura para os Jogos está pronta para receber a todos - Dilma Rousseff

A infraestrutura para os Jogos está pronta para receber a todos

16 de junho de 2016

As competições ocorrerão, no Rio de Janeiro, em quatro regiões distintas:

  • No Parque Olímpico da Barra
  • No Complexo Esportivo de Deodoro
  • Em Copacabana
  • No Maracanã, que sediará parte das competições de futebol, e as cerimônias de abertura e encerramento dos Jogos.

As partidas de futebol ocorrerão também no Engenhão, no Rio de Janeiro; na Arena Fonte Nova, em Salvador; no Mineirão, em Belo Horizonte; na Arena da Amazônia, em Manaus; na Arena Corinthians, em São Paulo; e no Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília.

Em maio de 2016, praticamente a totalidade dos equipamentos olímpicos já estava pronta, assim como as estruturas para utilização da imprensa e a Vila Olímpica. Até aquele mês, haviam sido realizados 42 eventos-teste, o primeiro ocorreu em julho de 2015 e o último, de atletismo paraolímpico, foi realizado entre 18 e 21 de maio.

Graças ao trabalho dedicado da Presidente Dilma e sua equipe, todos os locais de competição e as estruturas para receber as equipes e a imprensa estão prontos e o Brasil está preparado para realizar a mais bem sucedida edição do maior evento esportivo do mundo.

Mais de 85 mil profissionais garantem Segurança e Defesa

O Brasil está preparado, com os procedimentos e protocolos necessários, para a proteção dos atletas, comissões técnicas, Chefes de Estado, autoridades, turistas e jornalistas durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.

Um contingente estimado em mais de 85 mil profissionais – sendo 47 mil de segurança pública, defesa civil e ordenamento urbano, e 38 mil das Forças Armadas – foi preparado para garantir a segurança no maior evento esportivo já realizado na América do Sul.

Utilizaremos a experiência adquirida nos grandes eventos que sediamos anteriormente, como a Copa do Mundo de 2014, com a atuação integrada entre o Ministério da Justiça, Ministério da Defesa, ABIN e governos estaduais e municipais, além de organizações internacionais e multilaterais.

A ação integrada para a segurança nos Jogos é formada por três eixos: segurança pública, defesa e inteligência. Na área de segurança, a atuação será coordenada a partir dos Centros de Comando e Controle, no qual estarão todas as forças federais, estaduais e municipais, compartilhando informações e definindo, de forma integrada, ações.

Na área de inteligência, os objetivos serão a identificação, acompanhamento e integração permanentes das avaliações de riscos e ameaças relacionados ao evento, auxiliando na tomada de decisões dos órgãos de segurança pública e de defesa e do alto escalão governamental.

Para prevenir atentados durante os Jogos, o Brasil está adotando as melhores práticas internacionais em prevenção ao terrorismo. A cooperação é a principal ferramenta das forças de segurança contra o terrorismo, ao lado da capacitação e investimentos em equipamentos.

Além da experiência acumulada em outros eventos, criamos, para os Jogos Olímpicos, o Centro Integrado de Antiterrorismo, sob coordenação da Polícia Federal. Este centro abrigará policiais estrangeiros da área de inteligência com expertise para o enfrentamento ao terrorismo.

Estrutura reforçada e monitoramento permanente na Saúde

O governo federal estabeleceu, em parceria com os estados e municípios onde haverá competições (Rio de Janeiro e cidades do futebol), um conjunto de iniciativas para garantir a adequada oferta de serviços públicos de saúde durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos.

As iniciativas incluem a compra, pelo governo federal, de 146 ambulâncias para reforçar o SAMU no Rio de Janeiro durante o evento, as quais, após os Jogos, serão utilizadas na renovação da frota no estado e em outras cidades do País.

As unidades federais de saúde do Rio de Janeiro já disponibilizaram 130 leitos de retaguarda e foram contratados 2.500 profissionais de saúde temporárias para reforçar a rede federal de saúde no município, para que o atendimento aos cidadãos não seja prejudicado com a maior demanda gerada pelos Jogos.

Em relação ao combate ao Aedes aegypti, o Rio conta com 1.480 Agentes de Combate a Endemias, além de 1.800 profissionais contratados pelos órgãos federais. Estão em curso campanhas de comunicação do Governo Federal realizadas com COI, COB, Rio 2016, Federações e Confederações.

Também criamos um portal voltado ao turista, com orientações sobre saúde e vacinação. Este portal traz também informações às gestantes sobre prevenção a doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. O endereço é www.saude.gov.br/viajante e pode ser acessado em português, inglês, espanhol e francês.

O Centro Integrado de Operação Conjunta da Saúde (CIOCS) foi instalado desde o início dos eventos-teste. Essa experiência foi crucial durante a Copa do Mundo 2014 para o monitoramento de informações nos estados e municípios e a organização da rede de assistência à saúde.

O CIOCS monitora as situações de risco, a demanda por atendimento e vigilância sanitária, além de dar respostas coordenadas com as secretarias de saúde locais durante grandes eventos.

Para os Jogos Rio 2016, o CIOCS funcionará no Rio de Janeiro com profissionais das secretarias municipal e estadual de saúde, Ministério da Saúde e Anvisa. Também será instalado em Brasília o CIOCS Nacional. Estas estruturas funcionarão entre 5 de junho e 5 de outubro.


contato@dilma.com.br
Este não será o País do ódio